Total de visualizações de página

domingo, 29 de maio de 2016



                 SEM GRATIDÃO NÃO HÁ SATISFAÇÃO



              

         A insatisfação é de certa forma um combustível para a evolução e o progresso.
         Como tudo tem o seu viés,  ela também pode ser fonte de angústia e inquietação negativa: vide os eternos reclamadores.
         Existe uma tendência amarga de comparar a própria vida com a dos outros que julgamos ser melhor, e de certa forma menosprezar o que temos, que um dia foi sonho (hoje realizado, inclusive com bastante luta).
         Sim, nos acostumamos com a felicidade de tal forma, que ela passa a ser invisível ou um mero adorno da rotina, e logo substituída por uma subsequente insatisfação.
         A vida de ninguém é perfeita, nem mesmo a dos que desfrutam de um contexto aparentemente abastado e "invejável".
         Quando eu paro para apreciar esse belo céu azul, sobre essa natureza linda, fito tal perfeição incansavelmente, e começo a pensar nas pessoas que não enxergam, ou não se movimentam, ou que não tem a autonomia do próprio corpo, nem da própria vida. Finalmente, sorrio com uma alegria inesgotável e contentamento absoluto,  que chegam a se converter em lágrimas, só de pensar que posso comandar o meu corpo, a minha respiração, os meus movimentos, o meu livre arbítrio e a minha vida. E isso se estendendo à quem nos é caro, diria que detemos uma riqueza inesgotável.
        De maneira geral, se uma situação ruim nos desanima, temos que lembrar que podemos até ter um motivo para o descontentamento, mas podemos ter mais de cem para seguirmos essencialmente satisfeitos todos os dias.



         Acredito que a questão seja estratificar as prioridades da vida, e atribuir a devida importância ao que nos torna legitimamente agraciados e supridos. 
        Por um minuto, lancemos o olhar sobre aqueles que nem sabem se terão a próxima refeição, ou se verão novamente o seu filho que está no campo de batalha de uma dessas guerras insanas, que teimam em dizimar a humanidade, ou então num leito de hospital em condição mórbida. 
        Sendo assim, analisando a nossa situação que está distante disso, entendamos que o acolhimento e o reconhecimento dos presentes sutis, e\ou grandiosos da vida, certamente selam a realização do que se espera com tanto desejo ao longo do tempo.
       Uma ótima semana, e que todos possam se sentir satisfeitos em suas empreitadas! (T)
           





Nenhum comentário:

Postar um comentário